Montanha, Avô, Tao

“Uma viagem de mil léguas inicia-se debaixo dos pés.” Esse pensamento presente no capítulo 64 do Tao Te Ching foi um legado deixado por Lao Zi, fundador da filosofia taoísta por volta do século 6 A.C, na China antiga. Cada jornada, cada escolha, cada plano, por mais grandioso que seja, sempre se inicia com uma pequena ação, um passo. É a saída do estado de inércia para a entrada no estado de movimento. O estado da consciência manifestada no físico. No I Ching, uma das quatro virtudes naturais é o Princípio. Sem o Princípio, não existiria a possibilidade da manifestação vir a ser.

Foi assim, uma experiência vivida nos Andes, ao subir um “cerro” sagrado com 5.600 metros de altitude. Um passo por vez. Subir uma montanha dessa proporção requer Gen – Quietude interna, respeito aos ancestrais e a virtude da “paciência e persistência” perante os obstáculos. Zen – a Comoção e explosão de movimento necessário para a escalada e lidar com os imprevistos naturais que acontecem e que fazem parte na dinâmica da vida. E Dui – a Alegria espontânea de fazer parte da natureza, compartilhar experiências com o mundo a nossa volta e com quem amamos e mesmo assim manter a serenidade, assim como um lago calmo consegue refletir perfeitamente o céu. Desafio, autoconhecimento, auto superação.

A subida é como a Realização. Seguindo uma trilha que pode ser vista do pé da montanha, mas com aspectos desconhecidos que vão se revelando a cada passo. Apreciar a caminhada sem perder o foco. Manter-se na trilha, não se desviar ou dispersar por mais tentador que outras trilhas possam parecer ou por mais cansado que o corpo possa estar. A montanha é como um puma indicando o caminho. Com humildade, podemos ganhar sua confiança e a montanha pode se mostrar, revelando por onde, como, quando e quanto acessa-la. Seu cume é visto por todos a quilômetros em todas as direções, mas nem todos podem, devem ou precisam alcança-lo. É uma Realização individual-coletiva física, emocional e mental. Cada mineral, floco de neve, grão de areia, vegetação e animais fazem parte deste contexto, desempenhando um papel indispensável ao equilíbrio desse ser divino-terrestre.

A paciência deve ser sólida. Qualquer pequena infiltração de dúvida ou medo já é suficiente para agitar o lago, desestabilizando a mente. Pensamentos como “falta muito? ”; “está longe? ”; “estou perdido? ”; passam pela mente como o vento frio do Oeste: ininterruptamente.  A percepção transita entre a Aproximação – cada pequeno detalhe apreendido –  à Contemplação – visão e sensação de amplitude mirando o horizonte 360°. Finalmente no topo, encontra-se a Paz. Uma porção grandiosa de Terra que se ergueu há milhões de anos em direção aos Céus, e o Céu imensurável que gentilmente desceu até aos limites terrestres. Somos, no meio, uma simples testemunha desse milagroso evento natural mundano, nesse tempo e espaço em espiral contínua.

Só resta daí a Retidão. A descida que inicia por um passo. “Uma viagem de mil léguas inicia-se debaixo dos pés. ” Do Oeste para o Leste – nascimento – e do Leste para o Oeste, o retorno.

Por André Lacroce

 

Curso: Fundamentos de Feng Shui, com André Lacroce

Saudações! Agora em agosto de 2018 a Sociedade Taoista em SP está organizando um curso novo de Feng Shui com André Lacroce. É um programa teórico e prático sobre essa arte milenar chinesa aberta para todos interessados. Para mais informações … Continue lendo

Curso de Feng Shui, com André Lacroce

Saudações! Agora em maio a Sociedade Taoista em SP está organizando um curso novo de Feng Shui com André Lacroce. É um programa teórico e prático sobre essa arte milenar chinesa aberta para todos interessados. Para mais informações e inscrições … Continue lendo

Programa de Qi Gong com André Lacroce no Chile

Em novembro de 2017, dos dias 22 ao 26, teremos uma turma nova de qi gong nível 1, 2 e 3 da linhagem Xiantianwujimen em Santiago, Chile. Esta linhagem é considerada uma das linhagens puras do Taoismo e tem como fundamento a alquimia interna. Ela foi introduzida no ocidente pela Mestra Eva Wong. O programa será organizado pela Windhorse School e ministrado por André Lacroce.

O qi gong significa “trabalho com a energia interna”.  São técnicas corporais desenvolvidas centenas de anos dentro do Taoismo que têm como fim restaurar a saúde das pessoas num primeiro nível e num patamar mais avançado é por meios dessas técnicas que podemos trilhar o caminho da realização espiritual dentro do Taoismo. Ao trabalharmos nossa energia interna de forma particular vamos liberando a circulação de energia em nosso corpo e isso permite que dissolvamos os bloqueios internos. Isso permite também que gradualmente seja atenuada a influência do “eu” mais impuro em nossas vidas; as amarras físicas, emocionais, mentais e espirituais vão se liberando também e readquirimos mais flexibilidade e compaixão. O caminho da autotransformação é um dos canais para restabelecermos a conexão com sagrado. Todos os ingredientes já estão dentro de nós.

Acesse aqui para saber mais sobre o curso e como se inscrever.