Felicidade

Por André Lacroce

Felicidade, uma busca incansável, uma conquista passageira. Uma palavra comum, mas uma experiência às vezes rara. Desfrutar o estado de felicidade pode ser enganoso, misturado com outros sentimentos, expectativas, desejos. Algo distante e até abstrato.

Felicidade, do latim Felicitas (Felix), está relacionada à fertilidade e ao que é frutífero. A um processo de harmonia, plenitude e conquista. Quando depois do plantio vêm o fruto esperado. Isso requer um trabalho e a ruptura da inércia a fim de planejar, plantar, fecundar, fazer acontecer.

No entanto, no fundo, existe também uma entrega e reconhecimento da força da natureza. Reconhecimento da noção do poder do tempo, das estações, das dinâmicas naturais. Confiar na natureza gera um sentimento de segurança, como estar envolvido nos braços de uma mãe e poder confiar no destino maior (Fé).

A Felicidade também pode chegar a nós em tantas pequenas coisas. Coisas que a princípio pareceriam insignificantes. A felicidade vem em coisas grandiosas sim, mas nas simples também. Em gestos, palavras, uma lembrança, numa brisa, numa expressão, numa xícara de café, numa música.

Muitas vezes de tão focados que estamos em superar as preocupações, medos, tristezas e alcançar uma felicidade final no grande, no futuro, no “quase lá”, deixamos passar essas manifestações pequenas de felicidade. E são essas que nos dão no dia-a-dia força, significado, e mantém o nosso “eu maior” conectado com vibrações positivas, construtivas, compassivas.

Repare (do latim reparare – restaurar/ começar outra vez) na felicidade à sua volta. Ela está lá de algum modo, talvez não exatamente da forma esperada, mas está.

Um feliz final de ano, um feliz início de um próximo, cheio de acontecimentos e oportunidades novas nas pequenas e grandes coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *