Paz para todos os anos após anos.

Bom dia!

Faremos uma pausa a partir do dia 28 de dezembro até o dia 17 de janeiro. Voltaremos ano que vêm com as consultorias de Feng Shui, Acupuntura, Florais, Crânio Sacral e Doula.

Esperamos ver você em breve! Segue aqui um texto para refletir um pouco neste período de finalização. Compartilhe com a família e amigos!

Gratidão,

André Lacroce e Mariana Orlow.


Paz para todos os anos após anos.

Por André Lacroce

Chegando o período de fim de ano muitas palavras vêm à tona no nosso dia-a-dia. Como felicidade, alegria, saúde, prosperidade e paz. Paz é uma ideia muito interessante. Todos aprendemos que paz é bom. Que devemos buscar a paz. Mas muitas vezes essa busca se torna difícil e parece que quanto mais tentamos alcançar e agarrar a paz mais ela nos escapa. Vamos ficando ansiosos, frustrados, menos tolerantes e inventando muitas estratégias e planos para pegar a paz. É como se para alcançar a paz nós nos engajássemos em um caminho muito contrário e distante ao propósito original.

No começo da empreitada podemos estar mais ambiciosos e seguros de que é possível ter a paz por todo o sempre, como num conto de fadas. Depois nos convencemos e nos prometemos que “ano que vem!” vamos finalmente pegar a paz, só falta alguns meses de trabalho. Um pouco a frente, com a vida se complicando cada vez mais e mais, já nos contentamos com um “segundinho” de paz. Outras vezes, já nem reparamos mais nesses “segundinhos” de tão focados que estamos em nossa missão e coisas como estresse e irritação parecem se tornar naturais.

Mas, a tal paz, não é algo que conseguimos pegar ou possuir por tempo ilimitado. É algo mais intangível. As vezes essa intangibilidade também fica impalpável demais e o termo “paz” mergulha para dentro de textos filosóficos, poéticos ou místicos e já não acreditamos mais possível vive-la de tão longe que ela parece estar. Insondável.

A paz, de acordo com o I Ching, é um tipo de expressão harmônica da natureza. Um ambiente em que tudo está desempenhando seu papel, no lugar e tempo certos. Essas coisas não se apegam às suas obras e assim conseguem tanto expressar a paz por estarem cumprindo a sua real natureza e destino como, ao mesmo tempo, conseguem usufruir de um estado de paz. É como se fosse uma graciosa dança das energias celestes com as terrestres gerando frutos para todos. Uma gostosa e rica chuva irrigando os campos, saciando a sede das plantas e animais, e as coisas seguem um fluxo harmônico, claro e simples. Manifestando a essência da criação, cada qual no seu caminho, mas tudo junto ao mesmo tempo.

Uma mente mais astuta e desconfiada acredita ser impossível atingir esse grau de perfeição. E há muitas pessoas que passam a vida se esforçando e planejando tintim por tintim para atingir esse grau elevado de encontros e resultados. No entanto, em verdade, isso nada mais é do que o “Wu Wei”. O fluir da natureza. Como o sol, como a lua, como o movimento das estrelas, mares e rios. Essa orquestra de acontecimentos está dando o testemunho da perfeição o tempo todo à nossa volta. Fica aqui um convite a contemplar novamente o fluir de um rio, o canto de um pássaro ou um pôr do sol afim de se aproximar novamente da beleza desse ritmo natural.

Nós vivenciamos a paz em vários níveis. Podemos sentir o estado de paz no nível do corpo, das emoções e da consciência.

No nível do corpo a paz emerge e se mantém como um bem-estar a partir de um corpo relaxado, bem nutrido e descansado, com as funções equilibradas e nossos meridianos desbloqueados. É o resgate de um estilo de vida saudável e gentil para o corpo.

No nível da emoção a paz é vivida a partir de um coração esvaziado, sereno, sem muitas expectativas, magoas guardadas e, portanto, menos ansioso. Isso se dá por meio de ações no mundo com sinceridade, espontaneidade, humildade, afetividade e simplicidade. Trazendo à luz nossa criança interior. Julgando menos, perdoando mais. Descomplicando a teia da nossa vida e das nossas relações.

No nível da consciência, a paz visita a nossa mente a partir de um estado de consciência menos estimulado e menos confuso. Quando reduzimos as tarefas excessivas da mente e conseguimos relaxar o cérebro e o sistema nervoso, fazemos uma limpeza da mente, até de resíduos deixados pelo excesso de trabalho ou informações vindas da TV, computador, celular etc. Assim, a paz como um visitante ilustre, pode vir para dentro da nossa casa que agora está mais organizada e convidativa. Quanto mais a nossa casa interna está limpa, mas a paz se sente confortável para ficar conosco e por mais tempo vivenciamos uma consciência mais sábia, calma e contemplativa. Mais alta é a chance de realizarmos a nossa natureza humana de bondade, compaixão e conexão divina.

O homem que vivencia o estado de paz no corpo, nas emoções e na consciência é um ser realizado. Desejo isso a todos. Que todos encontrem a verdadeira paz e se realizem neste próximo ano e no próximo e no próximo…

Um ano de novo de muita paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *