Reflexão ao Recomeço

Mais um fim de ano se aproxima. E assim como num pôr do sol, naturalmente ficamos mais receptivos à reflexão e mais esperançosos por um recomeço ou uma nova oportunidade que está por vir depois de um descanso merecido. Nesse curto momento do ocaso há um silêncio. Não um vazio, mas uma paz silenciosa que nos move a contemplar essa manifestação celeste esplêndida.

Por um momento não sabemos mais se o sol e a lua são nossos olhos, as nuvens nossos pensamentos e as estrelas nossas lembranças.

Nesse silêncio, a consciência repousa e podemos ter um vislumbre da parte mais sincera do nosso ser. Nosso lado criança, nosso lado romântico, nosso lado afetivo, poético, espiritual. Esse local confortável e seguro dentro de nós faz parte da nossa consciência celeste.

E esse vislumbre fica presente por um momento, como um sabor doce na boca depois de comer uma cereja que depois vai sumindo, sumindo até voltarmos à consciência mais mundana. Não é possível ficar nesse local o tempo todo, mas dar uma passada lá um pouquinho todo dia é extremamente benéfico e desejável. Isso permite olhar para nossa criança interior, não esquecermos quem somos e de onde viemos, e permite também resgatar o contato com esse lugar tão seguro e especial dentro de nós. Sem essa segurança e conforto interior, fica muito desafiador encontrar segurança e conforto no exterior.

 

 

Por aqui vamos seguir a naturalidade e fazer também uma pausa a partir do dia 22 de dezembro até o dia 8 de janeiro. Esperamos vê-los logo. Até breve!

André Lacroce e Mariana Orlow

2 thoughts on “Reflexão ao Recomeço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *